quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Eu quero ver o mar


Névoa, nevoa, voa.

Sobre toda aquela escuridão inóspita,

Subiu o viajante.

Ele procurava.

Olhos fechados, ar rarefeito.

Cansado, desencorajado.

Luz! Vênus! Sol! Estrelas!

Mais que mais de repente,

Fez-se DIA!

DIA todos os dias!














( o viajante sobre o mar de névoa )


Nenhum comentário:

Postar um comentário