domingo, 24 de julho de 2011

Per il cuore

Era tão estranho ver todas as luzes vermelhas de amor indo na direção dele. Olhos brilhavam e sorrisos se formavam ao vê-lo. Coisa curiosa e só entende quem sente.

Só um coração cheio de amor suportava a potencialização do mesmo.

Quiseram dividi-lo.

Coração: Para amar amplamente.

Cérebro: Para ser bem inteligente e esperto.

Olhos: Para persuadir, ver nuances...

Humor...

[...]

Sim! Não! Talvez... Mas um só pedaço não faz sentido. Nada de metonímias!

Só inteiro nos faz queridos, amados e importantes assim como ele é por quem convive com ele.

Não ao corpo

Era uma chance, roguei por não perdê-la.

A mesma pedra que a afastei,

caiu novamente e atravessou-se em meu caminho.

E era aquele momento, onde eu rasgava as roupas que estavam coladas ao meu corpo.

Pois insistiam em grudarem-se mais.

Vesti roupas novas, todos os dias faço com que elas continuem juntas.

Mas o corpo luta contra o corpo.